"Os Educadores-sonhadores jamais desistem de suas sementes,mesmo que não germinem no tempo certo...Mesmo que pareçam frágeisl frente às intempéries...Mesmo que não sejam viçosas e que não exalem o perfume que se espera delas.O espírito de um meste nunca se deixa abater pelas dificuldades. Ao contrário, esses educadores entendem experiências difíceis com desafios a serem vencidos. Aos velhos e jovens professores,aos mestres de todos os tempos que foram agraciados pelos céus por essa missão tão digna e feliz.Ser professor é um privilégio. Ser professor é semear em terreno sempre fértil e se encantar com acolheita. Ser professor é ser condutor de almas e de sonhos, é lapidar diamantes"(Gabriel Chalita)

Translate - Tradurre - Übersetzen - Çevirmen - переводчик -

terça-feira, 30 de março de 2010

Onde vamos parar?

Profª Cristiana Passinato

O “Professor refém” é cada dia mais uma realidade frequente na sociedade, e está mais evidente por aí do que nunca.

Estamos à beira de um colapso sério que nos levará a um abismo imenso entre essas duas classes.
Os choques sérios de gerações, as desavenças, as grandes discussões.
A mídia não pára de evidenciar casos e mais casos de desentendimentos em sala de aula.
Muitos direitos dados aos alunos e poucos deveres, bem como alguns professores em completa situação de despreparo, faltas de condições e salários baixos, sem mesmo conseguir saber até onde podem atuar.
É fato que professor não deve trocar papel com pais, mas muitas vezes pela falta de educação chamada por muitos de berço há uma reflexão séria de comportamento em sala de aula, não permitindo que esse espaço seja bem aproveitado por todos.
Nem mesmo o espaço físico é respeitado.
Essa classe de educacores convive com atrocidades enquanto o aluno o ameaça em alguns momentos, caso haja algum desacordo com leituras distorcidas do Estatuto que os protege onde a função não deveria ser essa: a de coagir mestres e deixar alunos à vontade para fazerem qualquer atrocidade desejada, individualmente ou em grupo.
Pior é quando o tom ameaçador surge e o bullying vira prática habitual pelos alunos para se valerem da situação e se beneficiarem por todos os lados.
Acredito que isso seja maléfico e deturpe a personalidade e a formação desses alunos que tudo podem e não obedecem a nenhuma força que os limite.
Aliás essa palavra temida, que muitos falam que está desatualizada, acredito que seja o mais necessário nesse cenário, pois quem ama Educação e segundo até mesmo Içami Tiba e Tânia Zagury, autores de conceituadas teorias e obras publicadas no ramo da pedagogia têm como demonstração desse amor. O tal “Limite sem trauma”, pois “Quem ama Educa”.
Vídeo sobre bullying (em geral, não no caso do aluno para o professor, especificamente) do especialista sobre o assunto, o professor e vereador Gabriel Chalita:
Gabriel Chalita fala sobre o Bullying
Não é um problema só no nosso país, e sim global, vejam ainda em:
Em Portugal bullying será tipificado como crime na violência escolar http://bit.ly/atPnLw – via Twitter Denise Sobrinho (Jornalista)
Bookmark and Share

Um comentário:

Profª Cristiana Passinato disse...

Obrigada, querida, tem outros lá na coluna esperando seu parecer e pode usar como e onde quiser, tá?
Aliás, vou escrever ainda hj, acho, sobre as pulserinhas do sexo, absurso, atrocidade da moda.
Bjs

PENSAMENTOS